sábado, 18 de abril de 2015

0 Já é possível descobrir quem te liga em privado

Todos recebemos chamadas em privado que nos recusámos a atender. Mas algumas das vezes o assunto até pode der importante. Existem aplicativos que ajudam a resolver o problema mostrando quem nos está a ligar. 1.Trap Call Esse aplicativo está disponível para Android e iOS. Foi desenvolvido pela companhia americana Tel Tech, de Nova Jersey, Estados Unidos. Ele funciona da seguinte maneira: quando se recebe uma chamada de número desconhecido, é possível recusá-la apertando duas vezes um botão de bloqueio. Em seguida o app envia uma mensagem de texto com o telefone de quem fez a chamada e se ele está vinculado a um endereço específico. “Todo mundo odeia receber chamadas de números ocultos. Todos querem ter a opção de saber quem está chamando e ter a opção de atender ou não”.

2. True Caller A empresa sueca True Software Scandinavia AB, afirma que o app tem mais de 85 milhões de usuários em todo o mundo. A aplicação está disponível para iOS, Android, BlackBerry OS e Windows Phone, entre outros. Também se pode usar o serviço por meio de sua página na internet.

 3. Contative Esse app gratuito foi idealizado pelo espanhol Iñaki Berenguer, que em 2013 fundou a start up Klink – que recentemente comprou a companhia britânica ThinkingPhones. Ele serve para identificar números desconhecidos e seus criadores dizem que ele pode revelar mais de 600 milhões de números. O que ele faz é automatizar e agilizar uma busca que qualquer usuário poderia fazer, mas que levaria tempo. Qualquer pessoa poderia buscar um número de telefone na internet e possivelmente encontraria um nome vinculado a ele. Com o nome seria possível buscar mais informações no Facebook, no LinkeIn, ou na Wikipedia. O Contactive faz isso em segundos. 

4. Track Caller Location Criado pela desenvolvedora de softwares Smartlogic, com sede nos Estados Unidos e no Reino Unido, esse app pode ser baixado gratuitamente desde outubro do ano passado. Para utilizá-lo não é preciso estar conectado à internet. Além de ter as mesmas funções dos aplicativos descritos acima, o Track Caller Location permite descobrir a localização do autor da chamada, desde que o celular dele use sistema GSM. 

5. Whoscall Empresa desenvolvedora de aplicativos diz filtrar meio milhão de ligações problemáticas por dia A empresa que o desenvolveu, a Gogolook, de Taiwan, diz que o aplicativo gratuito filtra 20 milhões de chamadas por dia e identifica meio milhão delas como problemáticas ou desonestas. Da mesma forma que o Contactive, o Whoscall identifica as ligações a partir de uma base de dados de 600 milhões de números, segundo a empresa. Uma vez identificados os números não desejados, o app permite bloqueá-los.


 6. Whos Calling? O aplicativo do desenvolvedor BadAix é similar ao anterior da lista, Whoscall. Porém, ele é capaz de detectar quem está por trás de um texto de WhatsApp, inclusive quando o usuário não se identifica por um nome no serviço de mensagens electrónicas. Ele também permite reconhecer a origem dos textos enviados pelo Messenger da rede social Facebook e oferece a possibilidade de configurar smartphones para que filtrem as chamadas em função dos contactos . Com esses aplicativos você pode configurar sua própria lista negra de números de telefone não desejados e evitar assim um aborrecimento. 

quarta-feira, 15 de abril de 2015

0 30 dias de prisão e 1400€ de multa por armazenar água da chuva

Um homem residente em Oregon, nos Estados Unidos, foi condenado a 30 dias de prisão por armazenar água da chuva na sua casa, conta a ABC.

Gary Harrington tinha três grandes recipientes na sua residência para armazenar água, o que de acordo com o Estado norte-americano é ilegal.
Sendo que, a água é propriedade pública, quem quiser armazená-la terá de pedir uma autorização.
Além de ter sido sentenciado a 30 dias de prisão, Gary terá ainda de pagar cerca de 1.400 euros de multa.

terça-feira, 14 de abril de 2015

0 Governo sobre Repórter TVI:O que nós vimos foram pessoas bem instaladas !

Secretário de Estado Adjunto da Saúde considera que nenhuma das afirmações feitas pelos médicos «é demonstrada» na reportagem da TVI

O Secretário de Estado Adjunto da Saúde, Fernando Leal da Cunha, considerou, esta terça-feira, que a reportagem da TVI «1 hora e 35 minutos» demonstra que «os Serviços de Urgência em Portugal funcionam muito bem». 

«É uma reportagem que só vem confirmar a opinião que eu tenho,  que os serviços de urgência em Portugal funcionam muito bem, é uma experiência que confirma que tem picos de afluência, como nós já sabíamos, durante a noite os serviços tendem a encher-se, durante o dia tendem a estar mais vazios, por força da própria orgânica do sistema», afirmou Leal da Cunha aos jornalistas. 

«1 hora e 35 minutos», uma reportagem de Ana Leal com imagem de Romeu Carvalho e edição de João Pedro Ferreira, mostrou que depois do caos nas urgências durante o pico da gripe, os principais problemas que levaram ao congestionamento dos hospitais mantêm-se: há falta de médicos e enfermeiros que chegam a acumular 300 horas a mais de trabalho.    

Durante um mês a equipa de reportagem infiltrou-se em 15 hospitais, e as imagens recolhidas fazem lembrar um cenário de quase terceiro mundo.    
   
Pode ver a reportagem na íntegra aqui 

« O que nós vimos foram pessoas bem instaladas, bem deitadas, em macas com proteção anti queda, em macas estacionadas em locais apropriados, algumas dos quais em trânsito eventualmente para outro serviço.  Vimos pessoas em camas articuladas, vimos pessoas com postos de oxigénio, vimos hospitais modernos, vimos sobretudo profissionais muito esforçados», acrescentou o secretário de Estado. 

Sobre as declarações dos médicos entrevistados na reportagem da TVI, Leal da Cunha diz que nenhuma das afirmações feitas pelos médicos «é demonstrada» e que são «opiniões» de médicos «reputados e reconhecidos militantes do Partido Comunista e da oposição». 

«Os testemunhos dos médicos que eu ouvi, com o devido respeito, conheço-os há bastante tempo, alguns deles são  reputados e reconhecidos militantes do Partido Comunista e da oposição, alguns candidatos a deputados. São pessoas que eu tenho gosto de conhecer há muito tempo e que obviamente estão politicamente motivadas para fazer algumas afirmações, que são opiniões. Nada daquilo é demonstrado», reiterou.

Esta terça-feira, o bastonário d
a Ordem dos Médicos, José Silva, considerou, esta terça-feira, que a reportagem «espelha, efetivamente, a realidade».  

«A Ordem dos Médicos tem vindo a chamar a atenção exatamente para o problema das urgências, que é um problema da saúde em Portugal e para as consequências negativas do exagero de cortes no Serviço Nacional de Saúde (SNS)», afirmou José Silva. 

FONTE : TVI 24

quinta-feira, 9 de abril de 2015

0 Portagens nas SCUT são ilegais Comissão Europeia ameaça Portugal!

Comissão Europeia ameaça levar o Estado português a tribunal se não alterar as normas que violam o direito comunitário no que respeita às cobranças nas antigas autoestradas “Sem Custo para os Utilizadores”. Especialistas afirmam que parecer é válido para todas as SCUT.
de 2012
Comissão Europeia deu provimento à queixa da Câmara de Aveiro contra o Estado português acerca da introdução de portagens nas ex-SCUT
Comissão Europeia deu provimento à queixa da Câmara de Aveiro contra o Estado português acerca da introdução de portagens nas ex-SCUT / Rui Duarte Silva
A cobrança de portagens nas antigas SCUT é ilegal, considera a Comissão Europeia que ameaça Portugal com um processo no Tribunal Europeu de Justiça caso a situação não seja reposta.
A Comissão reage assim à queixa apresentada, em novembro de 2010, pela Câmara Municipal de Aveiro que defende que a introdução de portagens nas ex-SCUTS é “uma injustificada violação do princípio da livre circulação de pessoas e uma flagrante violação do princípio da não discriminação em razão da nacionalidade”.
Perante os factos, a Comissão Europeia deu provimento à queixa da autarquia contra o Estado português, acerca da introdução do sistema de cobrança de portagens nas antigas autoestradas “Sem Custo para os Utilizadores”, que atravessam o concelho de Aveiro – A17, A25 e A29.
Parecer válido para todas as SCUT
Em comunicado, a Câmara de Aveiro adianta que Bruxelas solicitou “um pedido de esclarecimento junto do Governo português e, na insuficiência da resposta dada pelas autoridades nacionais, o envio formal de um parecer fundamentado pedindo mais explicações e documentação que justificasse a legislação aprovada, o seu sentido e alcance, e as derrogações que a mesma introduz ao ordenamento jurídico europeu”.
A Comissão Europeia acabou por considerar que a cobrança de portagens nas antigas autoestradas “Sem Custo para os Utilizadores” é ilegal e alerta que se Portugal não alterar as normas que violam o direito comunitário, enviará o caso para o Tribunal de Justiça da União Europeia.
Para Ricardo Oliveira, sócio da PLMJ da Área de Prática de Direito Europeu e da Concorrência, o parecer de Bruxelas deverá ter o mesmo impacto em todas as SCUT, uma vez que “a legislação em causa é de caráter geral, embora a Comissão deva presumivelmente estar mais preocupada com as SCUT que sejam mais utilizadas por cidadãos de outros Estados membros que se desloquem a Portugal, em particular as próximas da fronteira com Espanha”.
O especialista disse ao EXPRESSO que a Comissão pode tentar uma ação junto do Tribunal de Justiça da União Europeia (TJUE) para aplicação de uma coima, mas sublinha que Portugal não terá que devolver verbas comunitárias para as autoestradas, uma vez que “não há alegação de que esses fundos tenham sido mal utilizados”.
Por outro lado, Gonçalo Anastácio, da SRS advogados, explicou ao EXPRESSO que se a ação der entrada no TJUE, o processo poderá demorar dois ou três anos a ser decidido.
Qualquer Estado-membro pode atuar
“Mas se a Comissão optar por não intentar a acção junto do TJUE, sempre seria possível outro Estado-membro fazê-lo, por exemplo, a vizinha Espanha), embora tal seja muito raro e excecional”, acrescenta o advogado.
A Câmara de Aveiro garante que “continuará a acompanhar este processo e a desenvolver as diligências que se mostrem adequadas a suprir as ilegalidades em que assenta o sistema de portagens introduzido nas ex-SCUTS, não excluindo a adoção de novas iniciativas junto dos responsáveis pela Comissão Europeia com o pelouro dos transportes e junto de eurodeputados portugueses no Parlamento Europeu”, conclui em comunicado.
Fonte: Jornal Expresso

quinta-feira, 19 de março de 2015

0 Wikileaks revela relatório secreto americano sobre Portugal

Wikileaks revela relatório secreto americano sobre Portugal. O país que compra “brinquedos caros e inúteis” por “orgulho”
Sabia que o ministério da defesa está isento de concursos públicos? Livre para fazer as suas compras milionárias a quem der mais luvas? E não a quem faz o preço mais justo? Tudo para salvaguardar o secretismo das operações do ministério?
O resultado é o que se tem visto. As compras mais escandalosas, menos transparente e mais megalómanas do estado, têm tido origem neste ministério. O caso dos submarinos, dos Pandur, dos torpedos, dos helicópteros, etc etc etc, muitos deles em investigação. Outros já provados na fonte estrangeira que houve luvas, mas em Portugal nada se faz.
Mais uma vez o oportunismo dita a lei, que por decisão deles, os beneficia a eles e lesa o interesse nacional. O concurso público é uma das regras básicas, para travar alguma corrupção mas os que nos desgovernam não gostam dessas regras? O importante é fazer muitas compras e de muitos milhões, mesmo que inúteis, servirão para fazer entrar dinheiro em partidos e em contas privadas dos envolvido? Compram inutilidades, sucata, usados, avariados, e até brinquedos para os quais não possuímos dinheiro para o combustível, para a manutenção nem recursos humanos técnicos.
Em Portugal poucos sabem, mas quem negoceia com os nossos desgovernantes, sabe algumas coisas que todos deveríamos saber.
O Wikileaks revelou um relatório confidencial que deixa a nu, algumas tramoias do Ministério da Defesa. Retirando algumas imprecisões, ficam algumas revelações.

Washington arrasa negócios do Ministério da Defesa
Relatório confidencial: O embaixador americano em Lisboa escreveu uma apreciação implacável sobre os submarinos, as fragatas e os tanques em que Portugal gastou milhões.
O pequeno parágrafo, a meio do telegrama de seis páginas, resume a coisa assim: "No que diz respeito a contratos de compras militares, as vontades e ações do Ministério da Defesa parecem ser guiadas pela pressão dos seus pares e pelo desejo de ter brinquedos caros. O Ministério compra armamento por uma questão de orgulho, não importa se é útil ou não. Os exemplos mais óbvios são os seus dois submarinos e 39 caças de combate (apenas 12 em condições de voar)."

O tom não varia muito nos outros parágrafos. O que varia é o nível do detalhe. Cruel e despojado - mas também comprometido com interesses diretos americanos e contendo erros factuais -, o telegrama enviado em 2009 para Washington pelo então embaixador dos EUA em Lisboa, Thomas Stephenson, não deveria ter chegado às mãos de um estrangeiro. Tem a classificação de NOFORN, "no foreigners". Talvez por isso seja tão declaradamente depreciativo para Portugal, para as altas chefias militares e para os últimos governos que têm estado no poder.

O telegrama (em boa verdade, um relatório) analisa o que se passa dentro do Ministério, tentando explicar porque é que as coisas, na perspetiva americana, correm tão mal. O título diz tudo: "O que há de errado no Ministério da Defesa português?"
Embaixador dos EUA em Lisboa de novembro de 2007 até 2009, depois de uma longa carreira como empresário em Silicon Valley, Stephenson escreve: "Portugal sofre de um complexo de inferioridade e da perceção de ser económica, política e militarmente mais fraco do que os seus aliados."
Na tese americana, o gosto pelos "brinquedos caros" tem a ver com isso.
Stephenson aponta o caso dos submarinos, que custaram mil milhões de euros e que, segundo ele, não seriam precisos: "Com 800 quilómetros de costa e dois arquipélagos distantes para defender, os dois submarinos alemães comprados em 2005 não são o investimento mais sensato. Os submarinos não têm uma missão formal atribuída e faltam-lhes os meios para fazer patrulhas sem objetivo. Portugal comprou os submarinos mas não encomendou sistemas de mísseis, o que significa que não terão capacidade de ataque mesmo que tenham uma missão."
Fazendo eco da polémica discussão pública sobre o assunto, o embaixador toma partido, mas demonstra algum desconhecimento. Com uma área marítima 20 vezes maior do que o seu território terrestre, há muito que a doutrina militar portuguesa prevê uma missão formal para os submarinos. Além disso, estes estão equipados com torpedos, minas e um sistema de mísseis Harpoon (ironicamente, fabricados nos EUA).

Mas o telegrama vai mais longe. O dinheiro gasto nos submarinos falta noutros lados. "Portugal tem poucos navios-patrulha operacionais para defesa do litoral e para dar conta do narcotráfico, imigração e pesca ilegais." E avança, quanto à Força Aérea: "Portugal tem alguns caças F-16 antigos, mas apenas um C-130 em condições de transportar militares e equipamento."
O país tem de facto um "excesso" de caças (39, dos quais nove estão para venda), todos comprados aos EUA mas, ao contrário, possui seis e não apenas um C-130.

O embaixador aborda depois o delicado tema das compras, considerando que a opção portuguesa de "comprar europeu" (em detrimento dos equipamentos americanos) lhe é frequentemente imposta pelos seus parceiros da União. Reportando ao caso das fragatas holandesas, adquiridas em 2006 por decisão do então ministro da Defesa, Luís Amado, em detrimento das americanas Oliver Hazard Perry, que haviam sido escolhidas por Paulo Portas, Stephenson diz que Portugal o fez "por pressão dos Estados europeus".
"O Ministério da Defesa optou por gastar mais de 300 milhões de euros em fragatas holandesas usadas. As americanas teriam exigido apenas cerca de 100 milhões de euros na sua modernização e apoio logístico", escreve o diplomata, acusando de falta de credibilidade o "estudo" que serviu de base à decisão, pois comparava "as fragatas americanas usadas com fragatas holandesas novas, sendo que estas tinham mais de 15 anos".

Na realidade, as Perry tinham mais 20-25 anos do que as holandesas e, a acreditar em fontes contactadas pelo Expresso, nunca foi feita uma estimativa do seu custo de modernização "por ser uma verdadeira dor de cabeça a sua eventual sustentação". As holandesas custaram 248 milhões.
Stephenson acrescenta que o mesmo tipo de situação (que chama de "contabilidade curiosa") ocorreu com os helicópteros-patrulha, "uma necessidade crítica" para Portugal. Mais uma vez, os Sikorsky americanos foram preteridos em favor dos EH-101 europeus, mais baratos, mas apenas porque "as peças sobresselentes e a manutenção não foram incluídas na proposta europeia. Semanas depois de entrarem ao serviço, os EH-101 ficaram parados por falta de peças. Os velhos Pumas com 20 anos que os EH-101 deviam substituir tiveram de voltar a voar".

O embaixador foi certeiro. Decididos ainda no tempo de Rui Pena, o último ministro da Defesa de António Guterres, estes helicópteros foram adquiridos sem um efetivo contrato de manutenção. Já o mesmo não se pode dizer relativamente à compra à Holanda de 36 tanques Leopard A6. "Os tanques são bons, mas Portugal não tem doutrina operacional, nem cadeia de manutenção nem peças sobresselentes. Além disso, a aquisição representou um afastamento do objetivo declarado do Exército em tornar-se uma força mais expedicionária, projetável e ligeira", escreve.
O que aconteceu depois, o embaixador já não conta. O Exército português adaptou-se aos novos "brinquedos" e ganhou competências novas como força expedicionária. Mas três quartos dos Leopard estão hoje encostados porque falta o dinheiro para comprar peças de substituição. E os tanques nunca saíram do país.

Lóbi rendeu 100 milhões
O Ministério da Defesa escolheu o gigante norte-americano Lockheed Martin para um contrato de 100 milhões de euros, depois de o Governo dos EUA ter feito lóbi junto do então ministro socialista Nuno Severiano Teixeira a favor do maior grupo de aeronáutica militar.
Com o título "Recent commercial sucess stories" ("histórias recentes de sucesso comercial"), um telegrama enviado para Washington pelo embaixador Thomas Stephenson, 2008, relata que no início de 2007 um adjunto comercial e o chefe do departamento de cooperação militar da embaixada americana em Lisboa encontraram-se com o diretor de uma das unidades da Lockheed Martin, Michael Meyer.
No encontro, Meyer contou que estava a tentar garantir há anos um contrato de 135 milhões de dólares (100 milhões de euros) para a reconversão dos cinco aviões P-3C Orion que a Força Aérea Portuguesa tem para fazer controlo marítimo, mas a mudança de governo em 2005 (do PSD para o PS) "manteve a proposta num limbo". Além disso, a Lockheed tinha informações que uma concorrente espanhola, a CASA EADS, "estava a fazer trabalho de bastidores junto do Ministério da Defesa para ganhar o concurso".
Uma carta foi elaborada em conjunto por vários departamentos em Lisboa e em Washington e foi assinada por Alfred Hoffman, embaixador que antecedeu Stephenson em Lisboa, sendo enviada ao ministro a 2 de maio de 2007. Quatro meses depois, a 6 de setembro, a Lockeed ganhou o contrato. fonte

Um país de generais sentados
Há uma cultura nas Forças Armadas em que, quase sempre, a melhor decisão que se pode tomar é não tomar decisões, dizem os americanos. Até para uma banda tocar é preciso autorização de topo.
A visão da diplomacia americana sobre a gestão e o exercício do poder dentro das Forças Armadas portuguesas é tudo menos diplomática, pelo que se pode ler num relatório assinado pelo embaixador Thomas Stephenson e que consta de um extenso telegrama já citado nas páginas anteriores - enviado a 5 de março de 2009 para Washington com o título "O que há de errado com o Ministério da Defesa português?"
O documento inclui um diagnóstico desassombrado sobre uma estrutura "rígida" e incapaz de tomar decisões. "A imagem de generais sentados sem fazerem nada não é uma mera alegoria".

"Os militares têm uma cultura de statu quo em que as posições-chave são preenchidas por carreiristas que evitam entrar em controvérsias, em vez de serem preenchidas com pensadores criativos, promovidos pelo seu desempenho", escreve o embaixador americano.
"Espera o tempo suficiente, dizem-nos os oficiais, e chegarás a coronel ou a general. Esta cultura fomenta um pensamento adverso a correr riscos e um corpo de oficiais superiores para quem adiar uma decisão é quase sempre a melhor decisão". Stephenson explica o que quer dizer com um caso: "Pedimos ao comandante da academia militar portuguesa se a banda da academia podia atuar numa receção da embaixada americana. O general de duas estrelas respondeu que isso teria de ser aprovado pelo chefe do Estado-Maior do Exército".

O problema não está, para o embaixador americano, na falta de recursos humanos. "Como a maioria dos aliados da NATO, Portugal encontra-se abaixo do padrão oficial que determina 2% do PIB para o orçamento de defesa. Portugal está nos 1,3% e gasta esse dinheiro de forma imprudente. Portugal tem mais generais e almirantes por soldado do que quase todas as outras forças armadas modernas: 1 para cada 260 soldados. Em comparação, os Estados Unidos têm um rácio de 1 para cada 871 soldados". Mais: existem ainda "170 generais adicionais que recebem o ordenado por inteiro enquanto se mantêm inativos na reserva".

Qualquer um pode ser um obstáculo
"Um corolário da regra de que ninguém toma decisões de comando", continua o embaixador, "é que qualquer pessoa pode bloqueá-las. Ultrapassar estes obstáculos exigiria que um oficial viesse a público desafiar a oposição interna, num ato raramente valorizado".
O cenário de bloqueio interno é agravado pela segregação que existe entre os três ramos das forças armadas e o Estado-Maior-General. O telegrama refere-se aos ramos (exército, marinha e força aérea) como "feudos". "O chefe do Estado-Maior-General das Forças Armadas não tem orçamento nem autoridade sobre os chefes dos ramos, que regularmente ignoram as ordens dele".
"A necessidade de consenso na estrutura militar", diz Stephenson, "inviabiliza muitas vezes os planos do Governo". E dá um exemplo: "Nas reuniões da comissão bilateral luso-americana, elementos do Ministério dos Negócios Estrangeiros e do Ministério da Defesa têm implorado para que cooperemos em programas de formação militar na África lusófona. Nós concordámos, mas só um em 16 projetos de cooperação trilateral propostos por nós - a pedido do Governo português - teve a participação de Portugal (um único sargento associado à formação do exército americano sobre desminagem na Guiné-Bissau)".
Segundo o telegrama, há franjas no Ministério da Defesa que têm um sentimento de posse em relação à África lusófona e não querem o envolvimento de outros países em programas militares com as ex-colónias.
Devemos fazer o trabalho interno dos portugueses
A par da radiografia negativa sobre as Forças Armadas, o telegrama estabelece linhas orientadoras de como a diplomacia norte-americana deve abordar o Ministério da Defesa - e também o Governo português em geral. O princípio básico, para o embaixador, passa por incentivar Lisboa sempre que possível. "Nunca deveríamos perder uma oportunidade para encorajar o Governo português, porque o Governo português nunca perderá uma oportunidade de procrastinar (adiar)".
Para isso, Stephenson acredita numa tática de infiltração nas estruturas internas do poder: "Devemos envolvermo-nos cedo e frequentemente e estarmos prontos para fazermos as consultas internas por eles dentro do Ministério da Defesa". fonte

Link para o documento no wikileaks

Fonte: http://apodrecetuga.blogspot.com/2014/07/wikileaks-revela-relatorio-secreto.html#ixzz3UrCvIN9d

0 Dezenas de policias de intervenção despejam 1 mãe e duas crianças menores em espinho

Dezenas de policias de intervenção despejam 1 mãe e duas crianças menores 
A desocupação coerciva de uma mãe e dois filhos menores de uma habitação do bairro novo em Silvalde, Espinho, provoca indignação dos vizinhos.
Policia de intervenção reprimiu amigos e vizinhos que apoiavam Juliana Ferreira.
Susana Valente, membro da Comissão Política do PSD de Espinho e da Assembleia Municipal fez o seguinte comentário no facebook: "Queixam-se de quê! Agora deveria ser penhorado os 133€ de RSI" (único rendimento da família). 

A unica solução apresentada pela câmara foi a de colocar Juliana e as duas crianças temporariamente numa instituição.

FONTE : Guilhotina.info

segunda-feira, 16 de março de 2015

0 Brigada de Transito tem nova técnica de apanhar infractores, mas esta reportagem apenas passou no Brasil !


Brigada de Transito tem nova técnica de apanhar infractores, mas era suposto os portugueses não saberem disto.

sábado, 31 de janeiro de 2015

0 O The Pirate Bay está novamente online

Sete semanas após o raid ao datacenter onde estavam os servidores, o The Pirate Bay voltou a erguer-se das suas cinzas digitais.
Foram sete semanas de muita incerteza e até agonia pela Internet fora. Foram semanas em que o The Pirate Bay teve várias histórias, vários projetos baseados no seu espírito mas tudo resultou no site voltar a ficar online. E, por acaso, um dia antes do que era prometido.
Há poucos minutos o site começou novamente a servir torrents. Tendo em conta o raid a 9 de Dezembro e o último torrent adicionado, podemos constatar que a perca de dados foi mínima.
A nova equipa do The Pirate Bay não está, no entanto, completa. Alguns administradores saíram para criar o seu “próprio” The Pirate Bay.

quinta-feira, 29 de janeiro de 2015

1 MUITA ATENÇÃO – é favor ler e divulgar Com que então poupar é no CONTINENTE

Hoje finalmente compreendi como o tio Belmiro ganha dinheiro. 
É de loucos e tem de ser divulgado !
Desloquei me ao continente de S.COSME, Valbom Gondomar com intenção de comprar bifes. Cheguei a secção da carne e tinha lá embalagem de bife da vazia ao preço de 14.98 euros, mas com 30% de desconto imediato que ficava a 10.49 euros. Achei bom e trouxe duas embalagens como podem ver nas imagens, uma com 400g e outra com 368g, ambas com preço de 14.98, assumi que faziam o desconto em caixa como é normal. 

Fiz umas contas rápidas de cabeça fiz a conta a 10 euros e iria gastar +/- 8 euros.
Cheguei a caixa e a menina da caixa pediu me pelos dois bifes 11.50 euros ??????????


Paguei mas quando me deu o talão!!!!! Para meu espanto, e perplexidade reparem no que estava escrito no talão…. (VER IMAGENS), ESTAVAM AMBAS AS EMBALAGENS COM MAIS GRAMAGENS, embora o preço estava a 10.49 euros, foi ao balção reclamar, e a menina da caixa, disse que era normal quando fazem promoções aumentam a gramagem para fazer acertos. O QUE ????? disse eu, pedi desculpa a menina e disse para pegar numa maquina de calcular e fizesse um simples calculo, 400gx10.49= a??? Ficou muito espantada, lol, dava 4.19euros, ficou um pouco atrapalhada e chamou a gerente, que quando chegou, nem perguntou nada, mandou fazer as diferenças e devolver me o dinheiro.
Na realidade, ei ia pagar ao preço de 14.98 euros, no talão aparece 10.49, mas com mais gramagem. As pessoas normalmente olham para o preço do quilo, se está correto no talão, é porque está bem, no entanto “COMEM-NOS” nas gramas, isto é pior que os merceeiros (sem querer ofende-los), para mim é roubar a força toda. Em duas embalagens se não repara-se ia ser roubado, em 3.45 euros, imaginem agora os milhares de pessoas que só hoje cairão neste esquema. As centenas de euros que metem ao bolso se as pessoas não estiverem atentas. Como podem ver, fizeram me os cálculos corretos, e devolveram. Conselho - prestem sempre atenção aos talões com olhos de ver.






sábado, 24 de janeiro de 2015

0 Tanta generosidade política e honestidade de Mário Soares?

Em Londres (1973) o patriota fazia propaganda política contra Portugal e queima a bandeira Nacional, com a revolução e em pouco tempo, este “salvador da pátria” manda “lançar os brancos aos tubarões” numa miserável e desonrosa descolonização.
Seguiram-se tempos de austeridade e apertar o cinto com a ameaça de fome com três bancarrotas socialistas.
E a Justiça?… A Fundação Mário Soares e a polémica em torno das acusações das autoridades angolanas segundo as quais Mário Soares e seu filho João Soares seriam os principais beneficiários do tráfico de diamantes e de marfim levados a cabo pela UNITA de Jonas Savimbi a somar aos negócios obscuros que envolveram grandes magnatas nacionais e internacionais…
Pois D. Maria….É a honestidade dos seres humanos que se aproveitam e nunca fizeram companhia ao recluso 44.

terça-feira, 20 de janeiro de 2015

0 O Mistério da Hello Kitty

QUEM TEM CRIANÇAS, FIQUE ALERTA! NADA COMO SABER E APRENDER E TERMOS MUITO CUIDADDO COM O QUE DAMOS ÁS NOSSAS CRIANÇAS!!!
Mistério da Hello Kitty
Uma menina de cerca de 14 anos q estava em fase terminal de câncer de boca. Os medicos já haviam tirado todas as esperanças da familia em relação a cura da garotinha.
A mãe da menina, desesperada, tomou uma decisão insana. Fez um pacto com o Demônio: consagrou a menina ao Demônio para que ele a curasse e como promessa, ela criaria uma marca que seria sucesso em todo o mundo Posteriormente o Demônio curou a garotinha, e a mãe cumpriu o que havia prometido: criou a Hello Kitty. E por isso a gatinha não tem boca.
A palavra Hello, em inglês quer dizer olá. A palavra Kitty, é de origem chinesa e quer dizer Demônio. Logo, Hello Kitty quer dizer: “Olá Demônio”.
Essa é a "lenda" que as pessoas contam sobre a gatinha da empresa SanRio, porém não se sabe a veracidade da mesma, já que nem a criadora da boneca se pronuncia sobre o fato.
Caso envolvendo a Hello Kitty
Em Hong Kong em 1999 ocorreu um caso que ficou conhecido como “O Assassinato da Hello Kitty” em que uma dançarina de uma casa noturna foi sequestrada e torturada em um apartamento. A mulher morreu somente após 1 mês por overdose de drogas nas mãos de seus sequestradores a qual foi decapitada e sua cabeça foi inserido em uma boneca de Hello Kitty, daí o nome do caso que ficou conhecido.
Mulher de 23 anos de nome Fan Man-yee, a qual trabalhava numa casa noturma como hostess(algo como acompanhante…) foi sequestrada por 3 homens: Chan Man-Lok (34 anos), Leung Shing-cho (27 anos) e Leung Wai-lun (21 anos). Eles a levaram num apartamento no Granville Road, Tsim Sha Tsui, onde a aprisionou. Eles a espancaram e torturaram diariamente ao longo da disputa da dívida.
Após um mês de prisão e tortura, que foi morta e esquartejada e sua cabeça foi colocada em uma boneca Hello Kitty. Eles descartaram a maioria das outras partes do corpo. Somente o crânio da mulher, um dente e alguns órgãos internos foram recuperados.
O assassinato foi exposto após 14 anos e a antiga namorada de um dos três autores do crime relatou ter sonhos contínuos de ser assombrada pelo fantasma de Fan.
Os 3 homens foram condenados por homicidio, segundo a perícia não conseguiram identificar como exatamente a mulher morreu. E eles permanecem presos.
O Juiz Peter Nguyen, que condenou o trio, disse: “Nunca, em Hong Kong nos últimos anos, um tribunal ouviu falar de tanta crueldade, a depravação, insensibilidade, a brutalidade, a violência e a maldade.” O trio foi condenado por homicídio e prisão ilegal de um júri do Tribunal de Primeira Instância, após uma experimentação de seis semanas. Eles revelaram que este seja um dos casos mais terríveis no território.
A publicidade em torno do caso resultou na produção e lançamento de filmes que contaram a história. “Human Pork Chop” e “Há um segredo na minha sopa” foi lançado em 2001. Um episódio de Bones, série de TV, “The Girl in the Mask” envolve encontrar a cabeça decapitada de uma mulher jovem japonesa de um serviço de escolta americanos em uma máscara.
O que ficou no ar foi: Por qual motivo cometeram o assassinato e porque escolheram justamente a HELLO KITTY para esconder a cabeça da mulher? Alguns boatos afirmam que eles fizeram isso a mando do Diabo e em troca eles teriam o que pediram (pacto), mas isso é inconclusivo.
 

NOTÍCIA TUGA Copyright © 2011 - |- Template created by Notícia Tuga - |- Powered by Notícia Tuga